.

Ir para o Conteúdo  | Ir para o Menu  | Ir para o rodapé  | Ir para a Busca             Acessibilidade   | Intranet  |  SIC  |  Canal de Denúncia  | Ouvidoria   Botão do Instagram do Tribunal de Justiça de Roraima   Botão de acesso a rede social Facebook do TJRR   Botão de acesso ao canal de Youtube do TJRR   Botão  da Rede Social Twitter do TJRR

Selos Prêmios TJRR       

Slide item 1
Slide item 2

  1. Intervenção da Justiça Restaurativa nos conflitos judicializados em 2024

  2. Ações de Práticas Restaurativas e Círculos de Construção de Paz realizadas pela Coordenadoria da Infância e Juventude

  3. Práticas de Justiça Restaurativa da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar

  4. Palestras Escolares

 

 

Intervenção da Justiça Restaurativa nos conflitos judicializados em 2024

A ideia central da Justiça Restaurativa está na pretensão de fornecer aos principais interessados – vítima, autor e grupo social diretamente afetados pelo delito ou conflito – os meios suficientes para compreender e lidar com a infração ou situação conflituosa, possibilitando a construção de respostas, aptas a contemplar a complexidade que cada caso carrega consigo, e que permita pensar a questão para além do anacrônico modelo causal do crime-sanção. 

Em maio de 2023 os Centros de Justiça Restaurativa - CEJURES começam a receber processos judiciais oriundos das Varas da Infância e Juventude, Juizado de Violência Doméstica e Vara da Justiça Itinerante para realização das Sessões Restaurativas, no quantitativo especificado abaixo:

Processos Recebidos    2022    2023
Juizado de Violência Doméstica - Competência Cível    -    04
Vara da Justiça Itinerante - Competência Cível e Família    -    12
Vara da Infância e Juventude – Competência Infracional    -    3
Vara da Infância e Juventude – Competência Cível    -    1
TOTAL    -    20

Com a aplicação dos Métodos da Justiça Restaurativa foram realizadas 58 (cinquenta e oito) sessões restaurativas, divididas em pré-círculos, círculos e pós-círculos:

Sessões Restaurativas Realizadas    2022    2023
Pré-Círculos    -    42
Círculos    -    14
Pós-Círculos    -    2
TOTAL    -    58

 

 


Ações de Práticas Restaurativas e Círculos de Construção de Paz realizadas pela Coordenadoria da Infância e Juventude:

Círculos de Construção de Paz, derivados das metodologias da Justiça Restaurativa, no Projeto de Redialogar, que consiste na ida às instituições da rede de proteção, na Capital e Municípios do Estado de Roraima, tais como Conselho Tutelar, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), com a intenção de levantar as dificuldades enfrentadas pela rede de proteção, tanto no contato entre si, como na interação com os demais atores judiciais e extrajudiciais de proteção infantojuvenil, de modo a tornar possível o planejamento de ações e articulações para a resolução e melhoria das problemáticas levantadas, assim melhorando a integração do funcionamento da rede como um todo.

Relatam que foram realizadas as seguintes visitações e reuniões:

1° - Comarca de Cantá/RR - Dia 01/09/22: Reuniões utilizando a lógica das metodologias restaurativas individualmente com o CREAS, o CRAS, o Conselho Tutelar e o CMDCA;

2° - Comarca de Caracaraí - 23/09/22: Reuniões utilizando a lógica das metodologias restaurativas individualmente com a Comarca local, a Promotoria de Justiça, a Defensoria, o CREAS, o CRAS, o Conselho Tutelar e o CMDCA;

3° - Comarca de Alto Alegre - Dia 25/09/22: Reuniões utilizando a lógica das metodologias restaurativas individualmente com a Comarca local, a Promotoria de Justiça, a Defensoria, o CREAS, o CRAS, o Conselho Tutelar e o CMDCA;

4° - Comarca de Mucajaí/RR - Dia 06/10/22: Reuniões utilizando a lógica das metodologias restaurativas individualmente com a Comarca local, a Promotoria de Justiça, a Defensoria, o CREAS, o CRAS, o Conselho Tutelar e o CMDCA;

5° - Comarca de Bonfim/RR - Dia 20/10/22: Reuniões utilizando a lógica das metodologias restaurativas individualmente com a Comarca local, a Promotoria de Justiça, a Defensoria, o CREAS, o CRAS, o Conselho Tutelar e o CMDCA;
 

6° - Comarca de Caracaraí - 10/11/22 - Reunião restaurativa conjunta entre:

1 - A Juíza da Comarca, a Dra. Noemia Cardoso Leite de Sousa;
2 - O Promotor de Justiça da Comarca, o Dr. Valcio Luiz Ferri;
3 - A Defensoria Pública do Estado de Roraima;
4 - A Secretaria de Assistência Social;
5 - O Assessor desta Coordenadoria, o servidor Josué Teles Meneses Albuquerque.
6 - A Técnica da Unidade de Justiça Restaurativa, a servidora Geanni Pereira Monteiro
7 - O Conselho Tutelar;
8 - O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS);
9 - O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), e;
10 - O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

A reunião conjunta acima foi realizada em parceria entre a CIJ, a Comarca de Caracaraí/RR e a UNIJURR, com a intenção de resolver problemas enfrentados por toda a rede de proteção à Infância e Juventude da localidade, conforme o que fora levantado nas visitações técnicas feitas em 22/09/22, de modo a sanar as dificuldades tanto no contato da rede entre si, como na interação com os demais atores judiciais e extrajudiciais de proteção infantojuvenil.

 


Práticas de Justiça Restaurativa da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar

Dados alusivos aos projetos realizados por esta Unidade, em que as referidas práticas são utilizadas, a saber:

Projeto MARIA VAI À ESCOLA

O Projeto MARIA VAI À ESCOLA é uma parceria entre a Coordenadoria Estadual de Violência Doméstica e a Secretaria Municipal de Educação, que visa inserir no currículo escolar discussões a respeito de temas relativos aos direitos humanos, igualdade de gênero, etnia, bem como, da violência doméstica e familiar contra a mulher.

O projeto é dividido em oito aulas, das quais quatro são utilizadas círculos de construção de paz, por meio do processo reflexivo, os alunos são estimulados a expressar suas opiniões, ocasião em que se busca promover o conhecimento em torno das questões que levam as pessoas a resolverem seus conflitos por meio da violência, para poder, ao fim, desconstruir essa visão.

Iniciado em maio de 2015, o projeto já foi implementado em 24 escolas da rede municipal de ensino e já alcançou 3.313 alunos.

   

Grupo Restaurativo - ELAS

O Grupo Restaurativo ELAS é oferecido às mulheres em situação de violência doméstica que se encontram sob decisão de medida protetiva. É uma iniciativa implementada por esta Coordenadoria, inicialmente com a colaboração da Faculdade Cathedral, desde o ano de 2017.

As principais metas do projeto consistem em ajudar a mulher a identificar as dinâmicas violentas e se reconhecer como vítima; aprender com outras participantes e partilhar estratégias de resolução de problemas; reduzir o isolamento social; oferecer encorajamento e suporte; diminuir o impacto da violência nas diferentes áreas de vida e possibilitar a aquisição de novas competências pessoais, relacionais e sociais de forma que a mulher possa reconstruir a sua vida.

Funcionando nas dependências do Fórum Criminal, o Grupo contabiliza um total de 196 mulheres atendidas, desde sua implementação, tendo como metodologia de trabalho os círculos de empoderamento.

   

Grupo Reflexivo SUJEITO HOMEM

O Grupo Reflexivo SUJEITO HOMEM é um projeto pautado na necessidade de se promover avanços na efetivação da Lei Maria da Penha e atender à Recomendação 124/2022-CNJ, que recomendou aos tribunais instituírem e manterem programas voltados à reflexão e responsabilização de autores de violência doméstica e familiar.

Trata-se de grupo reflexivo para agressores, previsto na Lei Maria da Penha (art. 22, VI; Lei n.º 11.340/2006), que tem o objetivo geral de prevenir a reincidência dos casos de violência de gênero através de uma abordagem responsabilizante, por meio de diálogos de caráter preventivo, conduzidos por equipes multidisciplinares, composta por psicólogos(as), pedagogos(as), assistentes sociais e Bacharéis em Direito, em ambientes judiciais.

Implantado no segundo semestre de 2022, o projeto alcançou 28 autores de violência doméstica, em 24 encontros reflexivos, num total de 3 ciclos realizados até a presente data.

 


Palestras Escolares

A Divisão de Proteção das Varas Unificadas da Infância e da Juventude, em parceria com a Coordenadoria da Infância e da Juventude realizou diversas palestras nas escolas estaduais de Boa Vista/RR, bem como realizou atividades lúdicas em várias escolas municipais, cujo tema foi o combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. No mês de maio de 2022 (que é o mês de enfrentamento à violência sexual) foram atendidas ao todo 14 escolas, sendo 6 estaduais e 8 municipais; e nos meses de agosto e outubro foram atendidas 4 escolas municipais em cada mês. O objetivo principal desta campanha foi orientar as crianças e adolescentes sobre quais atos caracterizam abuso e exploração sexual, bem como informar os canais de denúncia que poderiam ser acionados em caso abusos.

  • Sede Administrativa – Ed. Luiz Rosalvo Indrusiak Fin
    Av. Cap. Ene Garcez, N. 1696 , Bairro: São Francisco, CEP:69305-135
    Sala 304
    Telefone 6321 5116

     
  • Fórum Criminal Ministro Evandro Lins e Silva
    Av CB PM José Tabira de Alencar Macedo, 602 - Bairro Caranã
    Sala 133
    Telefone 3194 2689
     
  • E-mail:
    Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

A Unidade de Justiça Restaurativa – UNIJUR foi criada e normatizada pela Resolução nº 54/2006 com o objetivo de implementar e ampliar a Justiça Restaurativa com equipe capacitada para oferecer práticas de Justiça Restaurativa. 
 
Juiz Coordenador:
Dr. Marcelo Lima de Oliveira.
 
Equipe Técnica:
Clariza Turmina Monti
Michelly Sidla Rocha Santos Tortarolo
Valeska Cristiane de Carvalho Silva

A Justiça Restaurativa, foi criada e normatizada em 2016 com a Resolução nº 225/2016, do Conselho Nacional de Justiça que estabeleceu a Política Nacional de Justiça Restaurativa no âmbito do Poder Judiciário. 
A Justiça Restaurativa constitui-se como um conjunto ordenado e sistêmico de princípios, métodos, técnicas e atividades próprias, que visa à conscientização sobre os fatores relacionais, institucionais e sociais motivadores de conflitos e violência, e por meio do qual os conflitos que geram dano, concreto ou abstrato, são solucionados de modo estruturado, tratar o fato gerador demanda, visando não só sanar o processo judicial, mas trabalhar as interrelações que causaram o ato, buscando, em um objetivo maior, a promoção da verdadeira paz na sociedade. 
 
 Composição UnijurCampanhas e AçõesNotícias UNIJUR

Subcategorias

JUSTIÇA RESTAURATIVA - Ejurr vai promover formação inicial de facilitadores
JUSTIÇA RESTAURATIVA - Ejurr vai promover formação inicial de facilitadores
ACOLHIMENTO - Unidade de Justiça Restaurativa do TJRR implementa Círculos de Construção de Paz no Abrigo Feminino
ACOLHIMENTO - Unidade de Justiça Restaurativa do TJRR implementa Círculos de Construção de Paz no Abrigo Feminino
ALINHAMENTO - TJRR promove 1ª Reunião de Supervisão de Facilitadores em Justiça Restaurativa
ALINHAMENTO - TJRR promove 1ª Reunião de Supervisão de Facilitadores em Justiça Restaurativa
Semana da Justiça Restaurativa - 2023
Semana da Justiça Restaurativa - 2023
JUSTIÇA RESTAURATIVA - Juiz coordenador do Cejusc conhece Núcleo Gestor do TJMT
JUSTIÇA RESTAURATIVA - Juiz coordenador do Cejusc conhece Núcleo Gestor do TJMT
COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA - Unidade da Justiça Restaurativa realiza 2º Curso de Formação de Facilitadores
COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA - Unidade da Justiça Restaurativa realiza 2º Curso de Formação de Facilitadores
Ícone WhastsApp Ícone Instagram TJRR Ícone Twitter TJRR Ícone Facebook TJRR Ícone Linkedin TJRR Ícone Spotify TJRR Ícone TikTok TJRR Ícone Youtube TJRR

Palácio da Justiça - Desembargador Robério Nunes dos Anjos

Endereço: Praça do Centro Cívico, 296 - Centro - 69.301-380

Telefones:

3198-2800 - Palácio da Justiça
3198-4700 - Fórum Cível
3194-2699 - Fórum Criminal
3198-4900 - Prédio Administrativo
3621-5100 - Vara da Infância e Juventude

Logomarca do Tribunal de Justiça de Roraima

PLANTÕES DE ATENDIMENTO - SÁBADO, DOMINGOS E FERIADOS

Plantão Judicial 1ª Instância: ☎ (95) 98404 3085
Plantão Judicial 2ª Instância: ☎ (95) 98404 3123
Núcleo de Plantão Judicial e Audiência de Custódia: ☎ (95) 98404 3085
Plantão Vara da Justiça Itinerante: ☎ (95) 98404 3086

 

Ícone Mapa do Site     Banner Radar da Transparência Pública

.
Acessibilidade Visual
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte