Slide item 1
Slide item 2
Slide item 3
O projeto foi executado com recursos da Vara de Penas e Medidas alternativas do TJRR
 
Fotos: Divulgação Vepema
Inauguração da sala lúdica na Cadeia Feminina.
Com a sala, as reeducandas ganham um novo espaço de atividades educacionais 
 
 
A Escola Estadual Crisotelma Francisca de Brito Gomes, localizada dentro da Cadeia Feminina em Boa Vista, ganhou um novo espaço para atividades extracurriculares. Foi inaugurada a sala multidisciplinar “O Lúdico Além das Grades”. O projeto é financiado com recursos da Vepema (Vara de Penas e Medidas Alternativas) do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima).
A diretora da escola, Maria Arlete Vieira de Santana, considera importante a parceria e acredita que o projeto vai ajudar a elevar o nível da educação desenvolvida na instituição. 
 
“O projeto ‘Lúdico Além das grades’ é muito importante para a vida das reeducandas, pois a grande maioria delas há muito tempo não estuda e acaba tendo dificuldades quando chegam à sala de aula. Esse trabalho com os jogos vem para auxiliar o ensino-aprendizagem e, com certeza, vai marcar a vida delas”, comentou.
 
A titular da VEP (Vara de Execuções Penais), juíza Joana Sarmento, participou da entrega da sala e destacou que O projeto é fundamental para auxiliar as professoras nas atividades pedagógicas da escola dessa unidade. 
 
“ A ação pode também ajudar as reeducandas a superar esse momento de dificuldade momentânea. Uma hora elas sairão dessa unidade, e pode ser o primeiro passo de uma caminha fora da unidade prisional”, afirmou a magistrada. 
 
O secretário estadual de Justiça e Cidadania, André Fernandes Ferreira, acredita que fazer algo diferente na vida delas é uma forma de cumprir a missão no Sistema Prisional.   
 
“Temos que trazê-las [reeducandas] para o convívio da sociedade novamente. Então, todo e qualquer projeto que possa possibilitar isso nós vamos apoiar e juntos tentar fazer o melhor possível”, frisou.
 
 A diretora da Cadeia Feminina, Fabiana Leandro Silva Said, declarou que iniciativas como essa são positivas. “Acreditamos que temos como missão o fator ressocializador da pena. Esse é mais um projeto que vem somar, fornecendo mais atividades para as reeducandas aqui na unidade”, observou a diretora da unidade prisional.
 
A inauguração ocorreu no último dia 13 de dezembro, e a sala já está funcionando com diversas atividades lúdicas. O projeto custou ao todo R$ 8.535,77, recurso do pagamento de penas de prestação pecuniária da justiça estadual.