Ícone que leva para o Fale Conosco Ícone que leva para informações de Telefones Ícone que leva para Ouvidoria Ícone que leva para endereços, telefones e e-mails das Comarcas Ícone que leva para o Portal Transparência

 

Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania

Cejuscs

Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania - CEJUSCs

Os CEJUSCs são unidades do Poder Judiciário às quais compete, preferencialmente, a realização das sessões e audiências de conciliação e de mediação a cargo de conciliadores e mediadores, bem como o atendimento e a orientação ao cidadão (artigo 8.º ao 11 da Resolução n.º 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça).

O Tribunal de Justiça de Roraima foi o primeiro a capacitar mediadores judiciais em todas as suas comarcas, além de ter instalado Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSCs) em todas elas.Atualmente existem 9 (nove) CEJUSCs e estão localizados em todas as Comarcas do Estado de Roraima, são eles: CEJUSC Alto Alegre, CEJUSC Bonfim, CEJUSC Caracaraí,CEJUSC Cível de Boa Vista, CEJUSC Itinerante, CEJUSC Mucajaí, CEJUSC Pacaraima, CEJUSC Rorainópolis, e CEJUSC São Luiz do Anauá.

CEJUSC Itinerante

Polo de Atendimento e Conciliaçãoda Faculdade Estácio Atual

Polo de Atendimento e Conciliação da Casa de Saúde do Índio - CASAI

Polo de Atendimento e Conciliação da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo

Polo de Atendimento e Conciliação da Câmara de Conciliação da Vara da Justiça Itinerante

Polo de Atendimento e Conciliação do Centro Humanitário de Apoio a Mulher - CHAME

Polo de Atendimento e Conciliação do Terminal de Ônibus

Polo de Atendimento e Conciliação da Defensoria Pública

Polo de Atendimento e Conciliação do Terminal de Ônibus do Bairro Caimbé.

 

A expansão dos Centros Judiciários é uma das determinações da Resolução n.º 125 do Conselho Nacional de Justiça - CNJ, que foi adotada também no novo Código de Processo Civil, pois a solução do litígio através de mecanismos como a conciliação e a mediação não objetiva tão somente a redução da carga de processos no Judiciário, mas, principalmente, oferecer a melhor solução dentro do menor prazo possível ao cidadão, e condições para que possam solucionar futuros litígios em razão da experiência vivenciada, ou seja, além de reduzir o deficit operacional, busca tornar a sociedade mais consensual.