Notícias

CADEIA FEMININA - Reeducandas produzem máscaras para ajudar no combate ao Coronavírus

 
 
 
As mulheres trabalham na produção durante oficina de Corte e Costura
 
                                        
Fotos: Divulgação 
Reeducandas na produção de máscaras para o combate ao Coronavírus.
As reenducandas produzem aproximadamente 50 máscaras por dia, sob o acompanhamento da Vara de Execuções Penais e com o apoio do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do TJRR
 
 
 
 
Para ajudar no combate ao novo Coronavírus (Covid-19), as reeducandas da Cadeia Pública Feminina de Boa Vista estão produzindo máscaras de proteção individual.  Na unidade prisional, que é administrada pela Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania), as internas contam com uma oficina de Corte e Costura, que é parte de um projeto de remissão de penas, desenvolvido com o apoio da VEP (Vara de Execução Penal) do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima). 
Reeducandas produzindo máscaras.
 
Na oficina, as reenducandas trabalham na produção dos acessórios, que posteriormente poderão ser distribuídos.  A iniciativa de produção partiu da direção da unidade prisional, a partir do interesse manifestado por algumas reeducandas em contribuir e ajudar a administração pública na atual crise.  
 
A titular da VEP, juíza Joana Sarmento, informou que dentre as várias atividades que são desenvolvidas na cadeia pelas reenducandas, em tempos de crises contra o coronavírus, a iniciativa foi auxiliar na fabricação de equipamentos úteis. 
Mascaras produzidas pelas reeducandas da Cadeia Pública Feminina de Boa Vista.
 
“Na oficina, elas faziam basicamente uniforme e alguns artesanatos com retalhos. É importante lembrar que a   cada três dias de trabalho um é abatido na pena dessas reeducandas”, comentou a magistrada. 
 
As máscaras são feitas em TNT (tecido descartável) e elástico, com camadas triplas e ajustáveis ao rosto. Hoje, a oficina de corte e costura da Cadeia Pública feminina tem capacidade para produzir 50 máscaras por dia.