Notícias

Presidente do TJRR decreta Luto Oficial pelo falecimento do desembargador Robério Nunes dos Anjos

O período de pesar segue por três dias, sem a suspensão das atividades

 

Foto: Nucri

Tribunal de Justiça de Roraima.

Durante o luto oficial, as bandeiras deverão ser hasteadas a meio mastro em sinal de respeito e pesar

 

Ao lamentar a perda do primeiro presidente do TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima), desembargador Robério Nunes dos Anjos, o atual presidente, desembargador Mozarildo Cavalcanti, decretou nessa segunda-feira, dia 10, o Luto Oficial de três dias no Poder Judiciário do Estado, a partir da data do falecimento do magistrado. A portaria número 47/2020, que declara o luto, será publicada no DJE (Diário da Justiça Eletrônico) de terça-feira, dia 11.

 

Nesse período, que não acarretará a suspensão das atividades, as bandeiras em todas as unidades do judiciário roraimense deverão ser hasteadas a meio mastro, em sinal de respeito e pesar pela morte do desembargador, que esteve à frente da instituição por duas vezes.

O presidente do TJRR, desembargador Mozarildo Cavalcanti, ressaltou que a Justiça Estadual está passando por um momento de grande tristeza e, por tudo o que fez e representou para o Estado o desembargador Robério Nunes dos Anjos, a decretação do Luto Oficial é uma medida que se impõe.

 

“O desembargador Robério foi pioneiro do Judiciário do Estado. Deixou diversas contribuições, desde a instalação até a consolidação do Poder Judiciário de Roraima. O Luto Oficial é regra para pessoas representativas como ele e fazemos questão de prestar todas as homenagens possíveis e demonstrar todo o respeito à pessoa e ao magistrado que ele foi”, destacou.

 

ROBÉRIO NUNES DO ANJOS – O desembargador Robério Nunes dos Anjos foi o primeiro presidente do TJRR, iniciando a instalação do Poder Judiciário em Roraima, no ano de 1991. Ele foi presidente do tribunal por duas vezes e esteve à frente de diversas ações necessárias ao desenvolvimento da Justiça Estadual, como a construção da sede, o Palácio da Justiça, na praça do Centro Cívico, e a realização do primeiro concurso para magistrados.

Nos últimos tempos, o magistrado, natural da Bahia, estava lutando contra um câncer e acabou falecendo, aos 79 anos, no sábado, dia 8 de fevereiro de 2020, na Capital Boa Vista. O velório foi realizado com todas as honras na Sala de Sessões do Palácio da Justiça e o enterro ocorreu na manhã deste domingo, dia 9, no cemitério Campo da Saudade.