Ícone que leva para o Fale Conosco Ícone que leva para informações de Telefones Ícone que leva para Ouvidoria Ícone que leva para endereços, telefones e e-mails das Comarcas Ícone que leva para o Portal Transparência

 

TJRR disponibiliza pontos de coleta para doação de papel

 

 

A iniciativa visa receber papéis que já foram usados em empresas e instituições com impressões ou rascunho e iriam para no lixo, mas que pode beneficiar entidades que trabalham com reciclagem

 

 

 

A cada dia, com o processo de digitalização, o TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima) elimina cada vez mais o uso do papel. Mas com isso, também vão ficando para trás aqueles documentos físicos que se transformam em digitais. Assim, visando descartar de maneira adequada os resíduos que estão sendo gerados com o trabalho de digitalização, o tribunal, por meio da SGE (Secretaria de Gestão Estratégica) deu início nesta segunda-feira, dia 8, a ação de coleta de papel nas diversas unidades do judiciário na Capital.

 

Segundo a secretária de Gestão Estratégica, Inaiara Sá, a iniciativa surgiu na 1a Vara do Juri, que solicitou um projeto de recolhimento de papel já utilizado, pois com a entrada do processo eletrônico, foi iniciada uma reorganização na unidade judicial, onde um grande volume de papel foi retirado, demanda um descarte adequado para evitar acúmulo de lixo no meio ambiente.

 

“Como a SGE é a unidade do TJRR responsável pela execução de estratégias alinhadas à valores como o da sustentabilidade e dentro da definição dos Objetivos do Milênio, encabeçamos o projeto e o colocamos em funcionamento a partir desta semana”, explicou.

 

Ela informou que a equipe da Secretaria está em contato com cooperativas de Boa Vista para definir qual será a beneficiada com o material coletado, mas que antes da doação, todos os papéis recolhidos serão triturados, para evitar que qualquer dado particular registrado em algum dos papéis seja divulgado de maneira inadequada. A ação segue até o dia 19 de abril.

 

OBJETIVOS DE MILÊNIO - O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) instituiu o Comitê Interinstitucional destinado a proceder estudos e apresentar proposta de integração das metas do Poder Judiciário Nacional com as metas e indicadores dos ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável), Agenda 2030.

 

No Tribunal de Justiça de Roraima a preocupação com a Sustentabilidade é Valor Institucional expresso no Plano Estratégico 2015-2020 e executada diariamente em ações do Comitê de Logística Sustentável. Atualmente está em consulta pública, a inclusão da meta de economia de energia, água, copo descartável e tonner, em alinhamento aos ODS da Agenda 2030.

 

Os ODS compreendem uma coleção de 17 metas globais estabelecidas pela Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável. O Brasil participou de todas as sessões da negociação intergovernamental. Esse processo teve início em 2013 e foram concluídos em agosto de 2015. Os ODS deverão orientar as políticas nacionais e as atividades de cooperação internacional até 2030, sucedendo e atualizando os ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio).

 

Dicas para economizar papel:

 

Analise o real interesse público daquela impressão antes de fazê-la;
 
Se existir na sua unidade, estoque de papel, priorize sua utilização até o fim, antes de realizar novos pedidos;
 
Lembre-se de utilizar, sempre que possível, os meios digitais disponíveis como os Sistemas Judiciais eletrônicos, SEI, G-mail, Google Documentos, E-mail e outros;
 
Priorize a comunicação eletrônica com as partes, instituições e demais envolvidos no Sistema de Justiça;
 
Evite despachos laterais ou redundantes que possam resultar em expedição de mandados ou documentos em duplicidade;
 
Pode confiar! Sua assinatura eletrônica tem o mesmo valor da assinatura feita com caneta num papel, não sendo necessário imprimir um documento para assiná-lo e escaneá-lo de volta para juntar em um SEI ou qualquer outro sistema.

 

 

Fotos: Nucri

Pontos de coleta estão instalados no Fórum Cível Advogado Sobral Pinto, na sede Administrativa do TJRR, no Juizado da Infância e Juventude, no Fórum Criminal Ministro Evandro Lins e Silva e no Palácio da Justiça. Depois de recolhido, todo material será triturado e só assim doado