Ícone que leva para o Fale Conosco Ícone que leva para informações de Telefones Ícone que leva para Ouvidoria Ícone que leva para endereços, telefones e e-mails das Comarcas Ícone que leva para o Portal Transparência

 

Parceria visa à realização de casamento comunitário

 
Com objetivo de promover a regularização do estado civil de casais que já vivem maritalmente, e atender a crescente demanda de novos matrimônios, uma ação conjunta começa a se estabelecer para promover o casamento comunitário de aproximadamente 300 casais. O projeto intitulado “Caravana do Amor” será lançado oficialmente no dia 8 de março, e a cerimônia deverá ocorrer no mês de maio, no Parque Anauá.
 
O tema foi debatido na manhã desta terça-feira (22), na sede da Corregedoria-Geral de Justiça, numa reunião que contou com a presença do corregedor-geral de justiça, desembargador Mauro Campello, do juiz corregedor, Dr. Rodrigo Furlan, do chefe do setor de gestão extrajudicial da CGJ, Vivaldo Araújo, do tabelião de registros do 1º ofício, Joziel Silva Loureiro, do tabelião substituto do 2º ofício, Reginaldo Silva, da defensora pública Elcenir Diogo, do chefe adjunto da casa civil, Shiská Palamitshchece, da assessora jurídica da casa civil, Adriana Farias, e da diretora do departamento de assistência social da Setrabes, Ilnara Trajano.
 
De acordo com Elcenir Diogo, o projeto visa atender à demanda que chega, principalmente, na Defensoria Pública e na Setrabes. “Iniciaremos o Projeto pela capital. Contudo, o calendário deverá abranger também os municípios do interior do Estado. Nosso objetivo aqui é buscar parceria para tornar essa ação uma realidade”, disse.
 
Os cartórios do 1º e 2º ofício participarão do Projeto com apoio, principalmente, de pessoal para realizar a lavratura. “Nessa parceria, prestaremos assessoramento no que tangem às lavraturas dos atos de matrimônio e à prévia quanto aos procedimentos de habilitação de casamento”, disse o tabelião substituto do 2º ofício, Reginaldo Silva.
 
Para o juiz corregedor Rodrigo Furlan, essa é uma importante iniciativa de ação social, e marca o retorno de ações conjuntas entre os poderes. “Frequentemente somos lembrados pela separação, e essa ação mostra que a união entre os poderes resulta no atendimento aos anseios da população”, disse.
 
O corregedor-geral de justiça Mauro Campello sugeriu ainda que, posteriormente, as ações sejam sincronizadas com outras instituições, ampliando o atendimento em garantia da cidadania. “De acordo com a programação, a intenção é abranger o atendimento aos municípios do interior do Estado e, nesse sentido, é importante agregar a participação de outras entidades, como Justiça Itinerante, Justiça Federal, Receita Federal, TRE-RR, Sitema S, entre outros, para aumentar a gama de serviços disponibilizados”, finalizou.
 
Boa Vista, 23 de fevereiro de 2017.
 
Núcleo de Relações Institucionais - NURI
Escritório de Comunicação